Ações educativas

A Empresa Municipal de Planejamento, Gestão e Educação em Trânsito e Transportes de Montes Claros (MCTrans) da Prefeitura intensificou o trabalho de realização de blitz rotineiras para verificar as condições das plataformas fixas e dos elevadores para embarques e desembarques de passageiros cadeirantes nos coletivos urbanos. As ações serão levadas a efeito a cada 10 dias e nesta sexta-feira (20), as abordagens foram feitas, novamente, na Avenida Padre Chico, no entorno do Montes Claros Tênis Clube (MCTC), popularmente conhecido como Praça de Esportes.

A cidade possui cerca de 8 mil portadores de necessidades especiais sendo que, deste total, 2 mil são cadeirantes e necessitam do sistema para serem transportados. Desta feita, a blitz foi acompanhada pelos vereadores Walcir Soares e Rodrigo Maia (Rodrigo Cadeirante).

Um dos coletivos abordados, que percorre a linha de número 5801 (Vila Siom/Mauricéia) apresentou defeitos na mola da cadeira e no elevador. Foi feita a notificação, tendo em vista que o trabalho, nesta fase, é pedagógico. O defeito de ser sanado dentro de 48 horas. Caso contrário, o veículo será tirado de circulação até que seja solucionado o problema. Os demais coletivos abordados estavam em perfeitas condições. Foi sugerida a manutenção rotineira dos equipamentos.

O presidente da MCTRANS, José Wilson Guimarães (Brizolinha) destacou que a intenção é fazer blitz rotineiras a cada 10 dias, em Montes Claros, de forma aleatória e em diferentes pontos da cidade. “Nesta primeira fase estamos dando preferência ao ponto da avenida Padre Chico porque é onde conseguimos abordar cerca de 90 por cento dos ônibus”, afirmou o presidente da MCTRANS, para quem as atividades estão sendo bem aceitas pela população em geral”. Lembrou que para as próximas ações serão convidados representantes de órgãos ligados à defesa dos direitos dos cadeirantes.

O vereador Rodrigo Maia, que é cadeirante, acompanhou a blitz e reconheceu a importância da ação como forma de defender os interesses dos montes-clarenses que necessitam dos equipamentos nos coletivos. O parlamentar entende que as ações rotineiras vão colocar as empresas em alerta e incentivar a comunidade a melhor revindicar seus direitos. Frisou que as maiores dificuldades enfrentadas referem-se aos elevadores, cintos de segurança sujos e “linguetas” com defeito. “Os defeitos no sistema já causaram óbitos em São Paulo e Rio de Janeiro e temos que nos precaver”, finalizou.

O cadeirante Vilson José de Jesus também elogiou o trabalho realizado pela Prefeitura e sugeriu que seja instalada mais uma lugar para cadeirante nos ônibus coletivos de Montes Claros. “Atualmente só existe uma cadeira e quando há dois cadeirantes, a situação se complica”, afirmou, para quem os equipamentos devem ser mantidos em bom estado e em funcionando corretamente, para evitar constrangimento aos usuários.

ASCOM | Direção: Mateus Maia | Texto: Pedro Neto | Fotos: Fábio Marçal | Webdesign: Edson Gouveia